Voltar a Home do Gerentes Gerentes - Adicione aos favoritos Siga: Gerentes no Facebook Gerentes no Twitter Gerentes no Linkedin Gerentes no Google Plus Cadastre-se no Gerentes Cadastre-se

O conteúdo desta página requer a nova versão do adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Compartilhe

seu nome:

seu e-mail:

nome do seu amigo:

e-mail do seu amigo:

Comentário:

Os Cinco T´s dos Eventos Corporativos
Por Gladis Costa

23 de 09 de 2013

Organizar um evento não é fácil. Requer planejamento, orçamento, uma boa agenda, mailing qualificado, palestrantes que atraiam público, paciência e fé, porque se existem itens que estão dentro do seu controle, outros estão completamente fora de sua alçada e podem significar o fracasso do evento, algo que ficará na sua mente pelo resto da vida.
Organizar um evento não é fácil. Requer planejamento, orçamento, uma boa agenda, mailing qualificado, palestrantes que atraiam público, paciência e fé, porque se existem itens que estão dentro do seu controle, outros estão completamente fora de sua alçada e podem significar o fracasso do evento, algo que ficará na sua mente pelo resto da vida. Organizar um evento não é fácil. Requer planejamento, orçamento, uma boa agenda, mailing qualificado, palestrantes que atraiam público, paciência e fé, porque se existem itens que estão dentro do seu controle, outros estão completamente fora de sua alçada e podem significar o fracasso do evento, algo que ficará na sua mente pelo resto da vida. 
 
Seguem abaixo alguns itens que listei e que procurei classificar dentro da letra “T”, por mera coincidência (ou talvez para facilitar a memorização, vai saber)!
 
Taxa: Se queremos realizar  ações de branding ou lançar um produto,  cobrar talvez  não seja uma boa idéia - apesar de todos os custos envolvidos na realização de eventos cada vez mais sofisticados e em espaços cada vez mais caros. O problema é que eventos grátis têm uma taxa muito alta de no-show, as pessoas simplesmente não aparecem, afinal, não há o que  perder, não houve qualquer comprometimento financeiro, digamos assim. Para quem organiza eventos este é o maior de todos os medos! (Algo como: “cadê o povo?”)
 
Tempo:  Aqui não me refiro a duração do evento, tipo uma manhã, um almoço, um coquetel. Numa cidade como São Paulo, uma tempestade no final da tarde inviabiliza o acesso a muitos lugares. Ruas são completamente bloqueadas, o transporte público fica paralisado e muitas pessoas simplesmente desistem de ir a um evento e  resolvem tomar o rumo de casa, compreensivelmente. De novo, as condições climáticas (inundações!)  comprometem o sucesso da sua iniciativa. Queixas diretamente com São Pedro!

Trânsito: Leia o verbete “Tempo”. Uma coisa leva a outra,  além do mais, muita gente não gosta de participar de eventos no Anhembi,  Transamérica ou mesmo na Paulista, porque, bem, é  “do outro lado da cidade”, e pensando bem, até Alphaville pode ser o “outro lado da cidade”, por que não?  Já para quem mora, digamos, em Aldeia da Serra, Alphaville é uma “mão na roda”, mas cada um é cada um.. Imagine alguém que vem do interior pela Dutra e precisa chegar na Berrini, ou quem vem pela Castelo e precisa  chegar ao Center Norte! Não dá para agradar a todos. O melhor é definir o local e divulgar o máximo! Prover transporte pode ser um grande facilitador! E fé, muita fé!
 
Temática:  O que vamos apresentar? O conteúdo é relevante? Ou queremos dizer quão lindos e maravilhosos somos? Nosso powerpoint é bárbaro, nossa empresa é o máximo. Mas – e os clientes? Eles nos indicam? Dão depoimentos a nosso favor? Ou, será que trazer alguém do mercado não seria  uma boa ideia para atrair público e apresentar as novidades mais quentes do setor? Um novo olhar em nosso business? Fazer a programação de um evento é um desafio porque queremos unir o interessante ao moderno, o palestrante badalado às nossas estratégias.  E aqui entre nós, quem disse que  o palestrante badalado cabe no nosso combalido budget? Alguns são realmente inacessíveis!
 
Target:  Leia-se “público alvo”. Um evento de sucesso começa com um bom mailing. Sabemos onde estão nossos prospects ou nossos clientes? Acompanhamos suas mudanças pelo mercado de trabalho?   Podemos também adquirir listas de contatos, agregar novos nomes ao nosso banco de dados, mas obviamente  não podemos deixar de lado nossa base instalada, não é mesmo?
 
E para finalizar, mais um T – Tchau, até a próxima!

Compartilhe

Outros artigos de Gladis Costa

Nome:
E-mail:
COMENTÁRIO:

+ Publicidade

Assine a NewsLetter do Gerentes e fique atualizado com o melhor conteúdo de Gestão da WEB

Fique atualizado!
Receba nossos artigos por e-mail!

Digite seu e-mail:

+ Ultimos Artigos

11/11/2013 - COMO REEQUILIBRAR O MERCADO...

05/11/2013 - Como Lidar com Tanta...

14/10/2013 - Que Futuro aguarda o...

14/10/2013 - Brasileiros made in China...

14/10/2013 - Festa de confraternização...

14/10/2013 - Começar a trabalhar...

14/10/2013 - Proxis Anuncia Nova Diretora...

26/09/2013 - O que influencia o comportamento...

02/09/2013 - Assessoria de imprensa:...

22/08/2013 - Estamos em crise?...

02/08/2013 - Larguei emprego para...

28/06/2013 - Consumidor e Serviços...

22/06/2013 - Diga não ao derrotismo...

19/06/2013 - O capitalismo não é...

11/06/2013 - Você acha que um copo...

SOBRE NÓS

Acreditamos que com esses 2 elementos todo líder deve obter o sucesso mais rápido e mais consistente! E sua visita aqui é importante por isso. Nosso objetivo secundário é disseminar a discussão entre gestores de todos os segmentos, ouvir, criar e ainda assim ser um link entre você e sua carreira. Acreditamos no café do corredor, no bom humor, no almoço de negócios, feedbacks e reuniões que durem menos 15 minutos.